sábado, 24 de abril de 2010

Ele ...







Ele é doido, inquieto, beligerante e ainda fala besteira demais...
Mas tem alguma coisa ali que me encanta.
Mas tem algo que me chama constantemente.
Sua ausência me causa uma saudade deliciosa, dolorosa e intensa.
Gosto daquele olhar inteligente.
Aprecio sua ousadia escandalosa, e seu ar imponente que se distingue entre os infimos olhares.
Adoro aquele homem sério que se transforma em menino quando sonha.
Ele é uma mistura de tudo ao mesmo tempo e agora.
Há ali alguma coisa que minha sensibilidade admira e minha intuição repele.
Ele é instinto e razão.
Emoção e movimento.
Um bicho que fala alto, grita explode, mas que sussurra ao pé do meu ouvido, arrepia minha pele.
Um anjo que se transforma em escorpião.
Um escorpião de asas e sangue nas veias.
Docê tormento, e minha necessária dose diária de equilibrio e perdição.
Abraço que altera e eleva a temperatura, aguça os sentidos, enerva e acalma.
Há nele algum imã, algum mistério que acelera os desejos da alma.
Sua presença é uma afronta a minha sanidade.
E sua ausência uma dilacerante saudade.
O tempo o levou para algum lugar onde não mais posso vê-lo.
Mas não longe o suficiente para tirá-lo de meus sonhos, desejos e pensamentos...
Há histórias que simplesmente jamais caberão em sua partes a palavra FIM.
Porque?
Sem respostas!

Quem é ele?


...


Alguém, apenas alguém...



Beijos
RLQ

Rê Pinheiro

Interrogação de um coração.




Sempre haverá uma surpresa...
Sempre haverá um novo sorriso...
Em algum canto se esconde uma nova VIDA repleta de encantos.
As vezes coisas estranhas nos acontecem, acontecimentos sem um aparente sentido real, momentos confusos, onde nos foge a explicação, a razão, e a compreensão vaga por um rumo onde não é encontrada.
Porque?
Porque a lógica esta naquilo que muitas vezes não tem lógica alguma
Pessoas entram sim em nossas vidas, mas discordo quando alguém diz que elas saem, ninguém simplesmente sai.
Pode ter certeza que em algum canto ela ainda permanece, o que há é uma grande mutação de sentimentos...
O amor muda de nome.
A amizade se chama amor.
A raiva passa a se chamar experiência
O desejo passa a ser visto como carinho
O carinho se transforma em gratidão
A gratidão em tolerância
O afeto em saudade
A saudade em mais saudades ou em paixão
A paixão se perde na razão...
E quando a paixão surge tudo se chama ansiedade.
Fato é que muito bom se apaixonar sim.
Mas melhor que isso é quando alguém se apaixona por nós.
E melhor do que tudo é quando a paixão caminha lado a lado em ambos.
No mesmo sentido com a mesma razão e emoção.
Mas hoje em dia eu considero mais fácil acertar na Mega Sena acumulada por 20 anos que isso acontecer.
Muitos são os desejos...
Poucas são as emoções e a entrega.
Vou te fazer uma pergunta, quero que pense antes de dar uma resposta mecânica.
Mas quero saber: VOCÊ SABE AMAR, VOCÊ ESTA PREPARADO PARA VIVER ESTE AMOR?
A grande maioria responde que sim, mas poucos verdadeiramente sabem.
Querem muito, esperam muito, mas...fazem pouco.
Vivem o relacionamento como forma de fuga de necessidade e não com a veracidade.
São duvidas em que tomam o lugar de momentos.
Medos que bloqueiam e causam rupturas.
Medos...
Medos...
Cobranças...
Carências...
E aquela velha frase feita que sai dos lábios: “ Eu sou compreensivo(a)”
Quando de fato a compreensão esta em tudo, menos no coração.
Será que você sabe mesmo o que esta tal de compreensão?
Será que por algum momento você teve a capacidade de se colocar do outro lado só um pouquinho?
Comece por ai, sentindo o outro de verdade então você terá a resposta de muitas duvidas.


Beijos

Rê Pinheiro

quinta-feira, 15 de abril de 2010

No intervalo de uma decepção e outra.



No intervalo de uma decepção e outra vamos aprendendo que:
Há fases em nossas vidas em que os relacionamentos, os tais encontros amorosos são mais uma afronta a capacidade de discernimento que a verdadeira oportunidade da alegria em compartilhar sentimentos e emoções.
Uma sucessão desenfreada de desilusões, decepções que muitas vezes nos bloqueia a real visão dos fatos, nos causando uma certa descrença na possibilidade de viver uma experiência benefica e construtiva.
Quando nos damos conta disto, é o momento de parar, respirar e aprender a aprender.
Aprender a perceber de verdade o que esta acontecendo, conhecer nossos anseios, sentir quais são nossas prioridades e se nossas prioridades realmente são necessárias. Então se forem, começar a planejar quais as atitudes que devemos tomar para realizar os nossos desejos.
Muitas vezes, fazendo uma análise mais justa e desapegada, sem assumir nenhum papel, nem o de vítima das armadilhas da vida, nem da sacanagem dos outros e nem o de culpado, como se tudo o que fizéssemos estivesse definitivamente errado, terminamos descobrindo que há alguma incoerência nisso tudo.
Mas para tudo é necessário primeiro ter coragem e segundo ter sabedoria suficiente para saborear o amargo do tempo, que muitas vezes se mostra dolorido a alma, mas fundamental para a evolução. Mas digo a vós meus caros por experiência de causa, como é difícil esperar, como é complicado refletir. Porque nossa carne, o nosso corpo e nossos desejos não obedecem nosso cerebro, queremos namorar, encontrar alguém, queremos amar e sentir que somos amados, queremos aquele gosto maravilhoso da paixão, desejamos, colo, carinho, proteção.
Só que deve haver algum erro nestas linhas, pois será que estar com alguém é o mesmo que estar feliz?
Muitas vezes não!
Pois muitas vezes este " estar" pode não ser o estar para você ou para alguém, precisamos ESTAR inteiros, SER inteiros para então estarmos completos.
Mas entre uma decepção e outra, vamos buscando forças, vamos encontrando no dom da observação a arte de aprender com a vida.
A arte de ouvir as pessoas que realmente se importam contigo, pessoas em que algum momento foram enviadas como presentes para nos elucidar, ou simplesmente para nos fazer sorrir.
Tempo de aprender, crescer e simplesmente esperar...
Esperar o que a VIDA irá nos revelar, aguardar o próximo caminho, sem pressa, sem ansiedade respeitando e aceitando a ordem dos acontecimentos e não com aquele desejo de querer que tudo aconteça do jeito e no momento em que desejamos.
Mas precisamos compreender que nem tudo poderá ter uma respostas, talvez a VIDA demore tanto que quando você se deu conta ela já passou, nos resta apenas aceitar a ausência de quem você nem sabe quem, aceitar a ausência de alguém que você queria encontrar.
Porque haverá muitos porques sem respostas, muitas feridas que te deixarão cicatrizes, muitas duvidas sem explicações.
Muito de tudo e ao mesmo tempo tão pouco.
Mas não vele a pena brigar contra o mundo e se fechar, não aceitando, ou se rebelando, pois desta forma a única coisa que conseguiremos encontrar é mais dor e mais solidão.
Aceitar que você não tem o controle de tudo, que você não tem o poder de decidir tudo sozinho e que a vida tem seu próprio ritmo, o Universo caminha em seu curso, basta apenas você fazer sua pequena parte e bem feito, com vontade e da melhor maneira que você puder.
O que você não puder, entregue e espere...
Até que um dia, quem sabe o amor acontece.
Tenha certeza que ele tem o poder de te encontrar onde você estiver, você estará no momento perfeito e exato onde deveria estar para ser encontrado!


Beijos de alguém que esta aprendendo.


Rê Pinheiro

terça-feira, 13 de abril de 2010

Em algum lugar... entre o "silêncio e a compreensão"...




Um dia enviei este texto a uma pessoa, como uma forma de tentar ajudá-la a decifrar seus próprios "porques". Mas hoje me pego aqui sentada relendo e percebendo que ele se encaixa perfeitamente para este momento de minha vida.



"Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações? (...)
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu....
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.
Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..
E lembra-te:

Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão"

Torne a nascer sempre e... Sempre que a VIDA lhe ofertar algo que procuras, por menor que seja, tenha cuidado para não vê-La perder-se em seus próprios medos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Fernando Pessoa

segunda-feira, 12 de abril de 2010

...




Deixe-me aqui, quieta com meus pensamentos.
Não se preocupe com minhas dores, amores ou desamores.
Sou forte o suficiente para sorrir enquanto minha alma chora.
Te peço apenas que carregue um pouco de mim em sua memória.
Um pouco do que fui.
Um pouco do que eu senti e te fiz sentir.
Lembrê-se do meu carinho.
Esqueça da minha saudade.
Lembrê-se da sua felicidade.
Por onde ela andar.
Com quem ela andar.
Com quem ela andar.
Já que ela não estava aqui, quero te ver feliz!
Apenas feliz... com seu melhor e mais belo sorriso.
Tentei, juro que tentei.
Mas meus pés acabaram saindo do chão.
Me perdi.
Me prendi.
Fiz um laço sob minha pele e me entreguei a ti.
Mas faltou algo...
Faltou eu ser quem eu não era.
Faltou eu aprender a fingir.
Sobraram desejos.
Tudo hoje é silêncio.
O som ilustre angustiante da espera.
A cadência descompassada de um coração dolorido.
Houve um abismo sem fim.
Frases vazias.
Perguntas dominam uma mente em ebulição.
Esperar o que já era esperado.
Premonição?
Não!
Certezas.
Certezas que havia algo de errado com aquela sensação.
Certezas que em algum lugar do futuro não haveria ruidos, não haveria respostas...
Apenas uma ausência sem explicação.


Beijos
Rê Pinheiro

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Saber amar ( ??? )


Assumo, sou uma tola que por ser intensa em demasia sempre se estrepa.

Caraca porque consigo ajudar a todos e quando chega na minha vez eu não faço o mesmo?

Opto por ser sincera, dizer a verdade sempre, me entregar de corpo e alma e o que ganho?

Olheiras gingantes e um estomago estragado por comprimidos para dores de cabeça;

Preciso aprender com as pessoas frias a ser forte, já que a moda agora é não gostar, não amar e viver a cabeça na lua.

Pessoas que vivem sem conteudo, sem coração e sem sentimentos.

O que mais esperar de alguém que preza mais a ocasião que a emoção?

Que não se importa com sua dor, seu amor e seus desejos...

Alguém que faz aquela cara de tanto faz quando ganha um presente que você levou dias planejando para dar?

Alguém que não presta a menor atenção em seus detalhes, que observa mais seus defeitos ao invéz de admirar suas qualidades.

Alguém que pensa que vai te mudar de alguma forma e te moldar como ela espera encontrar o amor.

Mas no amor não há moldes, não precisamos mudar para sermos amados.

Não precisamos de nada para alguém se apaixonar por nós.

Pois as pessoas se apaixonam e amam, por que simplesmente acontece.

Sem premidatação, sem explicação...

Sem muitos pensamentos.

Mas temos um senso masoquista aqui dentro de nós e acabamos sempre nos lascando.

Porque nos apaixonamos muitas vezes por quem não é apaixonado por nós.

Amamos quem não sabe conjugar o verbo amar.

E de tanto amar perdemos a sensibilidade e deixamos de enxergar os detalhes.

Os sinais reais de como sentimos o amor.

E como sabemos quem nos ama de verdade.

Realmente, não sabemos quando o amor pode surgir quando iremos amar.

Mas podemos sim, por um fim de como e quando ele pode acabar.

No exato momento em que este amor é unilateral.

Então esta em nós acionar a engrenagem do coração e voltar a VIDA!



Beijos


Rê Pinheiro

terça-feira, 6 de abril de 2010

ABRAÇO


Beijar é bom mas tem momentos que abraçar é melhor ainda...

Existem varios tipos de abraços, como o do amigo que te conforta, que te faz sentir forte.

O abraço de mãe ou do pai que te devolve o chão, aquele que nada diz, mas você tudo sente.

Existe o abraço de saudade que chega a sufocar o peito de tão apertado, até dói as costelas...

O que nos livra da angústia e nos desperta emoções...( este é muito bom ele acalma o coração)

Há aquele abraço usina nuclear que transmite energia e nos faz reviver.

Amo aquele abraço com o deslizar das mãos quentes acariciando as costas

Gosto do abraço sem pressa, sem momento certo para acontecer nem terminar.

Abraçar por desejo, por carinho, por compreensão...

Abraçar por saudade, felicidade, amor trsiteza ou paixão.

Abraçar... abraçar... simplesmente abraçar...

Como é gostoso sentir aquele aconchego de um abraço verdadeiro.

Como é gostoso sentir a ternura que ele transmite.

Tem gente que não gosta de abraçar.

Não sabem que estão perdendo.

Roubem-me tudo, mas deixem-me com os abraços.

Não preciso de muita coisa, mas sinto uma necessidade dilacerante de sentí-los.

Afinal que graça há na VIDA sem eles?

Troco as flores, os chocolates, diamantes e até os bilhetinhos que eu adoro por aqueles abraços apertados.

Ah! Tem um também que é um dos meus favoritos, aquele onde a emoção é tamanha que pulamos no colo e rolamos no chão.

Vou contar-lhes um grande segredo capcioso:

Se os homens soubessem o real efeito de um abraço na alma de uma mulher, nós estariámos perdidas.

Se vocês desconfiassem do quão elevada é a entrega neste momento, certamente perderiam mais tempo se aprimorando neste dom.

É o instante em que de verdade somos inteiras, sentimentos complexos, desejos em eminência e as emoções a flor da pele.



Enfim...

Apenas O abraço...


Rê Pinheiro





domingo, 4 de abril de 2010

Compartilhar


Pois é, muitas pessoas buscam a felicidade em tantas coisas, almejam fortunas, carros, bens, corpos perfeitos, quando na verdade a Vida se resume a coisas tão simples.

Se resume a sentimentos da alma…

Uma alegria que só pode ser saboreada completamente, quando ela é compartilhada.

Você pode ter tudo, estar perto de todos e sentir-se vazio. Fica aquela coisa meio sonsa… sem cor… sem sabor… sem graça.

Ai você se dá conta que a graça esta naquele abraço de saudade, no bilhetinho encontrado no meio de coisas guardadas.

A graça esta naquela pergunta sincera: ” Como foi seu dia”?

Num gesto de carinho no meio da noite quando alguém te cobre com um edredon,
ou na manhã que você abre seus olhos e contempla um olhar ali bem diante de ti, um olhar de alguém que vela por teu sono.

A verdadeira graça da vida esta na preocupação com bem estar de quem você ama, nos pequenos detalhes que os meros mortais não são capazes de compreender.

Esta no tempo que você perde com prazer de conhecer e tentar surpreender.

Esta até na salada que você inventa, ou na carne de panela assada com batata, nas vezes em que se perderam juntos, num presente ganhado sem motivo, no elogio feito com o coração, na admiração e no orgulho.

Ela pode estar ali, naquele beijo perto da pia da cozinha, no carinho, no colo e na compreensão, esta no desejo de ver o sorriso de quem amamos, esta em ficar triste quando quem amamos não esta bem e tentar transformar tudo isso em paz.

Esta naquela demonstração enorme de gratidão e também na saudade quando passamos um pequeno espaço de tempo sem ver esta pessoa.

Concordo que a verdadeira felicidade esta dentro de nós, de fato, somos capazes mesmo, mas me fale uma coisa, onde esta a graça em sorrir sozinho?

Beijos

Rê Pinheiro