sábado, 24 de abril de 2010

Ele ...







Ele é doido, inquieto, beligerante e ainda fala besteira demais...
Mas tem alguma coisa ali que me encanta.
Mas tem algo que me chama constantemente.
Sua ausência me causa uma saudade deliciosa, dolorosa e intensa.
Gosto daquele olhar inteligente.
Aprecio sua ousadia escandalosa, e seu ar imponente que se distingue entre os infimos olhares.
Adoro aquele homem sério que se transforma em menino quando sonha.
Ele é uma mistura de tudo ao mesmo tempo e agora.
Há ali alguma coisa que minha sensibilidade admira e minha intuição repele.
Ele é instinto e razão.
Emoção e movimento.
Um bicho que fala alto, grita explode, mas que sussurra ao pé do meu ouvido, arrepia minha pele.
Um anjo que se transforma em escorpião.
Um escorpião de asas e sangue nas veias.
Docê tormento, e minha necessária dose diária de equilibrio e perdição.
Abraço que altera e eleva a temperatura, aguça os sentidos, enerva e acalma.
Há nele algum imã, algum mistério que acelera os desejos da alma.
Sua presença é uma afronta a minha sanidade.
E sua ausência uma dilacerante saudade.
O tempo o levou para algum lugar onde não mais posso vê-lo.
Mas não longe o suficiente para tirá-lo de meus sonhos, desejos e pensamentos...
Há histórias que simplesmente jamais caberão em sua partes a palavra FIM.
Porque?
Sem respostas!

Quem é ele?


...


Alguém, apenas alguém...



Beijos
RLQ

Rê Pinheiro

5 comentários:

  1. Alguém... Apenas, alguém.
    Que seja.
    Que chegue e que te veja assim, como tu és.
    Misteriosa,
    escandalosa,
    geniosa,
    espirituosa,
    maravilhosa,
    misericordiosa,
    esperançosa e
    linda.

    Amável,
    insuportável,
    louvável,
    adorável,
    admirável,
    inacreditável e
    divertida.

    Pois que, se for para ser alguém, que seja alguém de verdade e que te veja como tu és.
    De verdade...

    Um grande beijo,
    Maü Cardoso.

    ResponderExcluir
  2. Quem é este alguém?

    ResponderExcluir
  3. Adorei, Rê.
    Um poema e tanto, fluente, bom de ler, e que expõe as subjetividades dos desejos de cada ser humano. Não importa tanto quem seja, importa que um dia seja.
    Beijo grande.

    Ivan Bueno
    blog: Empirismo Vernacular
    www.eng-ivanbueno.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Um belo texto, mas há lacunas.
    Há espaços a serem ocupados por alguém que realmente deseja atingir o alvo.
    Estou em fase de mudanças, alterações e finalizações, mas irei atravessar e certamente mover e se necessário remover montanhas.
    Mas o veneno do escorpião esta em minhas veias e a idade já não me permite a espera.
    Terás surpresa, e pode ter certeza, ela será das grandes.
    Lembrê-se Divina Inspiração, quem não sonha acorda vazio.

    E.B.

    ResponderExcluir