domingo, 4 de julho de 2010

INSIGHT


Se estou confusa?

Sim estou!

Porque embora meus sentimentos sejem claros a sensação que tudo isso me causa é estranho.

Fica aquele nó desenfreado na garganta, uma palavra que não sai.

É a voz do meu eu mais oculto que atordoa.

Seria simples, sentir.

Assim como para os simples é amar.

Posto que o amor de tão simples enlouquece.

Por isso sentei aqui e começei a conversar com minhas entranhas.

Quero em algum canto aqui dentro de mim encontrar as respostas que foram perdidas.

Quero simplesmente viver...

Sem pressa...

Sem porques e aquele maldito talvez.

Quero o café com leite e o pastel de fim de tarde.

O abraço e o carinho da noite.

Tenho o direito de ser, estar e desejar.

Por isso grito:

Eu quero!!!

Quero o sorriso até doer queixo.

Quero levantar e poder cair da cama, sabendo que ao voltar tudo estará ali.

Não podemos prever o futuro, mas podemos viver a intensidade de cada instante.

Porque eu jamais saberei se amanhã pela manhã estarei aqui.

Tudo o que sei é que em algum momento fui feliz.

Porque?

Por você!

Por sua causa e efeito...

Por você se fazer o presente do meu presente.


Beijos
Rê Pinheiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário