sábado, 12 de maio de 2012

Moçinho e Bandido






E só por hoje eu ficarei sem pensar em você.
Pronto lembrei!
Só de pensar que não irei pensar já estou pensando.
E no meio do silêncio deste louco pensamento sinto o vibrar de um toque entre os dedos.
O aparelho que grita, traduzindo alguém que espera.
Atrás de montanhas e um imenso Rio... se esconde o Leão.
O timbre rouco da paz inquieta.
O baixo contraste, mãos que    e o mais alto contrauto da emoção.
E neste instante se dissipa a saudade, soa o alarde de novos contos.
Uma outra história e um novo fim,
O inicio de uma velha passagem.
Lembranças se misturam e transformam.
Desejos se multiplicam e se confundem.
Seria a Bela, no ápice indo de encontro ao bandido ?
E o que seria o bandido se tratando desta visceral estoria da VIDA?
Bandido é quem mata ou é aquele te faz desejar morrer?
O moçinho não mais surge para salvar.
E o beijo do principe nem sempre é aquele que te desperta.
Poderá ser aquele que te dará sono.

Beijos


Rê Pinheiro

3 comentários:

  1. NADA A DECLARAR DONA Rê PINHEIRO
    E.B.

    ResponderExcluir
  2. Aprecio muito o seu estilo em seu blog, sua apreciável demonstração de ser Uma "divina inspiração". Abraços, IB

    ResponderExcluir
  3. precisa postar mais hein Re. - Andre Mancuso

    ResponderExcluir