sábado, 14 de janeiro de 2017

Filtro do amor








Quando você "conhece" os mais variados tipos de pessoas, e já se relacionou
com perfis diferentes do seu perfil, você cria um processo natural de filtrar o que realmente vale a pena aguentar de uma pessoa e o que não vale. Ficamos céticos, seletivos, e exigentes demais depois de tanto "sofrer" em relacionamentos, porem isso hoje eu enxergo como algo positivo e saudável.


Ter o discernimento e saber realmente definir o que quer e o que NÃO quer, é uma dádiva.


Hoje eu posso dizer que cada relacionamento que ja tivemos em nossa vida, serve como uma fonte de aprendizado para sermos aperfeiçoados para quem sabe, aquela "pessoa especial" EU DISSE: ( QUEM SABE )...


Certo é, que a paixão, atração, saudade, o amor, as cicatrizes, mágoas, a dor, saudades, desprezo, traição, felicidades, descaso, as lágrimas derramadas mesmo que escondido, a cumplicidade, reciprocidade, ou a ausência o ressentimento, não importa qual o teor, o sentido, não importa quem estava certo, ou não, qual foi a razão... mas cada momento vivido é uma lição para levarmos para o resto da vida.


E são justamente essas experiências que nos ensinam a " filtrar” quem queremos ter verdadeiramente do nosso lado, e que nos fazem diagnosticar através da sensibilidade e maturidade da Alma o que é uma paixão de um desejo, uma amizade de um bem querer, um tesao, do calafrio no estômago, um carinho sem precedentes do grande amor da sua vida!


A pessoa que eu seria hoje num relacionamento VERDADEIRO, certamente é muito melhor da pessoa que eu fui há anos atrás! Mas sem dúvida haverá muito a ser lapidado com o tempo.


Aprender a extrair o melhor de mim nas relações anteriores, enxergar as falhas, os defeitos que muitas vezes pensava não ter mas certamente eles existiram ou existem com certeza, me fez levar a evoluir e ter hoje a real certeza de que tipo de companheiro que gostaria de ter em minha vida! E da mulher que sou e poderei ser para ele, e somente para ele.


Não sou nada " tranquila" embora almeje a tranquilidade, possuo um lado de uma ansiedade brutal, não consigo desligar com facilidade, relaxar com naturalidade, e não sei dosar o altruísmo, querer ver bem a pessoa que amo, é uma necessidade, primordial e vital.


Porém há um lado que através de pancadas desenvolvi o de não saber pedir ajuda, ajudar e não ter um termômetro que indique o momento em que realmente preciso de alguém, isso justamente por nunca ter de que quem esperar, eu me tornei uma mulher que até pode atrair pela " beleza" mas causo repulsa por não saberem lidar com uma personalidade que foge à regra de ser cuidada. Porque eu simplesmente nunca me permiti, ou nunca tive ninguém que realmente teve a audácia de não se ater aos meus nãos, e de me cuidar como se cuida de quem ama.


Mas uma coisa é convicta hoje a reciprocidade pra mim é fundamental.


Não é o status que se molda o relacionamento, não é o fato de dar nome ao boi, mas de ter a certeza convicta de onde ele precisamente está e o que ele representa.


Dizer que tem uma namorada, uma noiva, tem um relacionamento sério, ou uma aliança, não é nada se não tiver a real convicção de sua importância, um contrato assinado em cartório não lhe dá nenhuma garantia de amor, o relacionamento verdadeiro nada mais é que um pacto de fidelidade, cumplicidade, lealdade, isso primeiramente deve estar em você, o pacto de que está sendo verdadeiro consigo mesmo é o início para seja verdadeiro e inteiro com o outro.


Entre experiências da vida tive um, relacionamento, onde era ele bipolar, agressivo, um psicopata beirando a insanidade, que talvez tenha tirado de mim parte de certas "esperanças"... Me fez enxergar que o nome dado ao " Boi" estava totalmente equivocado, primeiro porque na verdade ele era um Jumento, o que me tornou obviamente a Mula da estória.


Mas partir daquele momento, eu sabia que não ia suportar estar em um relacionamento baseado em agressividade e ignorância. Não sou a senhora paciência, tenho meus momentos de nervosismo, mas eu nunca gritei com ninguém, então, não vou aceito que façam diferente comigo. Isso é saber filtrar, isso também é saber definir o que realmente vale a pena.


Não acredito em mudança, mas acredito na melhoria e evolução.


E não vou melhorar porque o outro está pedindo, mas toda vez que reconhecer que algum comportamento me faz mal, e consequentemente, as pessoas ao meu redor, certamente a ele será a hora de refletir e dar importância ao que realmente importa.


Um simples questão de definir o que eu quero, e não aceitar menos do que eu puder oferecer. Relacionamento é uma via de mão dupla. Repleto de barreiras, curvas, obstáculos, trechos onde será necessário diminuir a velocidade quase chegando a parar e outros onde você terá que acelerar e ter cautela para não bater de frente.


Dou amor, carinho, atenção, zelo porque sou assim, e quero receber também. É assim que funciona.


Mas de tudo o mais importante é filtrar e querer quem ame meu jeito e não me julgue pelas escolhas ou pelo jeito de viver, sonhar ou amar, ou meu modo de ser ou de parecer "ser". Ame pelo que sou quando estou ao seu lado e tenha a certeza que será amado com a mesma intensidade que é amado estando distante.


Ame a simples vontade de me ver sorrir, e não me rotule por casca, porque se um dia eu disser olhando nos olhos que EU TE AMO, saberá pela cor deles que será semelhante à cor do Sol no amanhecer, e jamais duvide porque amar quando se é amado é sublime, mas quando este sentimento é visto como algo passageiro confuso e irrelevante causa uma dor descomunal.


Aí surge o filtro, a coragem de retroceder para tomar forças e prosseguir.


Não é conviver que te faz amar, porque para amar não requer conhecimento, esmiuçar os defeitos e qualidades do outro, você ama, simplesmente porque ama.


Por isso, enquanto para alguns o amor é algo que surge apenas com o tempo, talvez pela arte da conquista, demonstrações, pelos detalhes observados, assim estabelecendo o que seria um filtro do amor.


Para outros o amor é amor, sem mérito, explicação, lógica, razão...é claro que você enxerga os defeitos senão isso seria uma paixão, mas a quantidade de defeitos não torna ínfimo a intensidade do amor. Pela simples questão de que não escolhemos quem queremos amar, porque o amor não se faz na aparência, o amor está no inexplicável, e na certeza que mesmo filtrando tudo jamais deixará de ser amor.




Rê Pinheiro












Um comentário: