terça-feira, 31 de agosto de 2010

A importância do sem importância


Esta semana eu estava no hospital e sentada comecei a observar o mundo.
Vi uma senhora que sentada numa sala olhava a TV, era estranho, ela apenas olhava, pude notar claramente que ela não assistia nada, pois sua mente estava num canto qualquer onde aquelas imagens da tela não podiam alcançar.
E comecei a perceber como muitas vezes somos assim na vida, como se estivéssemos diante de uma grande TV, as imagens passam, mas não conseguimos assisti-las, não conseguimos senti-las, o coração fica frio e a vida sem emoção.
Precisamos acordar mesmo quando pensamos que não estamos dormindo.
Mas de repente o som gritante de uma sirene a fez despertar daquele transe e os olhos se voltaram para aquele grande carro branco com a cruz vermelha.
Eu nunca gostei daquele som, sempre sinto um nó no estomago e uma vontade de chorar como se eu estivesse sofrendo com quem esta sofrendo lá dentro, creio que seja a angustia de saber que impotente e que o simples desejo de querer bem, não é a real capacidade de conseguir fazer o bem.
O som da sirene deu lugar então ao breve silêncio e desceu um motorista com uma cara de nada com coisa nenhuma, um ser que certamente não deveria ser chamado de humano, um humano que não tem a capacidade de ser, sentir... Pois abriu aquelas portas e desceu aquela maca como se estivesse abrindo um caminhão de frigorífico e retirando uma daquelas grandes partes de um boi morto.
Naquela maca eu consegui enxergar que havia uma senhora, com seus 90 e poucos anos, uma mulher que certamente é repleta de histórias e lições, alguém que com certeza teria muito que ensinar a aquele pobre motorista, uma mulher que um dia foi uma criança, que um dia correu ou brincou de boneca, uma moça que teve seus amores e desamores e que certamente na sua mocidade jamais imaginou um dia estar naquela maca.
Um contraste de vidas e sentimentos...
Para o motorista era apenas mais um dia de trabalho, mais uma vez que ele teria que fazer o esforço de descer uma maca da ambulância, era apenas um dia em que ele enfrentava o trânsito para ganhar o seu pão de cada dia, era apenas uma maca, apenas uma velha.
É estranho como muitas vezes não damos importância ao que realmente importa, muitas vezes somos pegos pelas palavras “É apenas”
É apenas um pão.
É apenas um cachorro.
É apenas um cigarro.
É apenas um sorriso.
É apenas um tiro.
É apenas um abraço.
É apenas mágica
É apenas um beijo
É apenas uma criança
É apenas um carinho
É apenas atenção
É apenas uma dor
É apenas uma tapa
É apenas lagrimas
É apenas amor
É apenas fé
É apenas uma oração.
É apenas uma velha
É apenas uma vida!
E a pouca importância vai se alastrando, vai tomando conta do coração e quando menos percebemos estamos como o motorista ou como à senhora que assistia TV.
Estamos apenas estamos.
Não sentimos.

Beijos
Rê Pinheiro

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

CARINHO




Sabe o que é carinho?
Carinho é quando você passa uma noite inteira pensando numa pessoa, é quando você sente no teu coração o coração dela em aflição e quando você do nada levanta da cama para orar por ela sem nem saber o real o motivo ao certo deste ato.
Carinho é quando você sabe que ela não esta bem, sem que ela não tenha lhe contado nada!
Carinho é o desejo de vê-la bem, de senti-la em paz e de ver o sorriso estampado em seu rosto.
Carinho muitas vezes é apenas o desejo de ouvir sua voz e perguntar se ela esta bem, saber se sua pressão esta boa, se sua cabeça não esta surtada.
Carinho é querer dar colo, atenção, querer ouvir e segurar nas mãos e dizer de toda alma, “Conte comigo”.
Carinho é saber discernir o não do sim, e saber que quando ela esta dizendo: “Sim eu estou bem” Ela quis dizer: ” Eu estou péssima”.
Carinho é deixar o importante de lado e dar prioridade a verdadeira importância de sua vida.
Carinho é aquele dom de quem sabe sentir.
Você muitas vezes pode pensar que dar carinho é fácil, mas na verdade é difícil, porque dar é um ato de entrega de verdade e às vezes nem todos estão prontos para as verdades desta vida.
Carinho é aquele cantinho no ombro, é aquele beijo no rosto sem pretensão, é aquele abraço de proteção.
Às vezes o carinho pode aparecer pela manhã, em forma de um telefonema, um simples alo de alguém que gosta muito de você e te liga apenas para te fazer lembrar-se disto.
Carinho não é estar do lado, mas é se fazer presente!
Se algum dia você sentir este carinho por alguém não se feche, não se guarde, faça desta sua passagem aqui algo que deixe boas recordações, permita que permaneça na lembrança de muitos o seu melhor carinho, o melhor de sua alma.
Afinal porque pensar tanto?
Se iremos chorar ou sorrir no final das contas o que importa?
O grande barato de tudo isso aqui é que estamos aqui, e que temos ainda muito carinho para sentir uns pelos outros.


Beijos
Rê Pinheiro

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Ciumes











Ciumes.

Há aqueles que afirmam nunca sentem ciumes... ( detesto estes tipos) no mínimo são seguidores não evoluídos de Dalai Lama, são pessoas que não sentem, não amam, não sabem o gostinho de nó na garganta e de boca seca, são pessoas extremamente equilibradas, mas cá entre nós o equilíbrio é equilibrado demais, e isso me irrita.

Mas vamos deixar bem claro este tal ciumes que estou falando.

Não é aquele tipo possessão, instinto selvagem, não é o ciumes tipo surtado que sai desconfiando de tudo e vive bisbilhotando.

Gosto do ciumes doce, do ciumes de quem cuida de quem ama e preserva.

Gosto do ciumes tipo macho que zela por sua fêmea.

Gosto das expressões.

Muitos confundem a segurança e a confiança com a mania de dizer que não sente ciumes... ERRADO.

Você pode confiar plenamente e ter total segurança em quem você ama, mas mesmo assim, sentirá aquele ciumes gostoso.

Conselho de quem já viveu muitas histórias, se você sentir deixe claro que esta sentindo!

Mas vai também um alerta para aquela minha amiga demente que eu tanto amo que vive lá no sertão onde nem o tal do Judas conseguiu chegar para perder suas botas, sim senhora Dona Carlota Joaquina, acima de todos esta você, acima deste sentimento esquisito que só você acha que é amor, esta você! Então olhe mais para o espelho e menos para os números que aparecem no celular do seu namorado. Lembre-se a auto estima pode ser seu céu ou inferno, se você não confiar em seu melhor certamente ninguém mais poderá.

Beijos
Rê Pinheiro

O despertar de uma mulher











Agente acorda de manhã com cara de uva passa que passou à tarde no Sol, inchada e amassada e ainda assim ele olha e te chama de linda, de meu amor. Que coisa, se não for amor é um caso sério de hipermetropia.
Sabe qual é o grande barato de amar?
É ficar doido, se perder, se entregar e não ter receios.
Quando você começa com muita frescura e muita lenga lenga a coisa desanda. Se um dia você sentir de verdade este treco maravilhoso chamado amor, não tenha vergonha de ser idiota e fazer um monte de besteira.
Melhor é tentar, falar, berrar e amar e ter um monte de histórias toscas para contar um dia, que ficar como uma donzela sentada, esperando... esperando... esperando e quando se der conta você esta pior que a vovozinha e nem o Lobo Mau quer te comer.
Chega!!!
Hora de viver e se for para morrer que seja de amor.



Beijos
Rê Pinheiro

domingo, 15 de agosto de 2010

Verbalizando sentimentos





Vou tentar escrever um poquinho do que estou sentindo.

Sabe, vou escancarar um pouco, sempre duvidei que algum dia alguém me fizesse sentir o amor que um dia eu senti, porém mais uma vez a vida me surpreendeu, quebrando meus próprios paradigmas e me ensinando que o amor se transforma e ele pode se tornar em tamanho e em intensidade imensamente superior.

Ele foi chegando sem pressa, sabiamente conquistando seu espaço, sua compreenção e paciência foram fatores primordiais para a quebra de alguns mitos que haviam em mim.

Seu carinho por mim me fez sentir algo que nunca senti em minha vida, sempre pensei que gostar é fácil, mas demonstrar é difícil, pois para isso requer coragem, e grande é o numero de covardes hoje sobre a terra, suas demonstrações explicitas fizeram despertar em mim, sentimentos que eu julgava adormecidos, esquecidos... e também me fez ver que eu poderia sentir coisas que nunca imaginei sentir.

É como assistir aqueles filmes de romances e saber que tudo aquilo só faz parte de uma fantasia e de repente do nada a fantasia se torna realidade, mas uma realidade que supera em emoção qualquer filme e fantasia.

Ainda hoje ouvi: "Por ser tão perfeito assusta".

E é verdade, concordo, assusta mesmo, mas se você subir no topo de uma grande cachoeira e olhar para baixo irá ficar assustado, mas depois de tempo este sentimento dará lugar a algo infinitamente superior,você ficará estasiado e passará a contemplar e agradecer pela oportunidade de simplesmente estar ali naquele instante.

Hoje o que sei é que preciso sentir tudo, preciso... amar mais... sorrir mais... dormir mais...comer mais chocolates...de abraços mais apertados, beijos mais longos e alguém que pegue a garrafinha de água no meio de uma madrugada fria e melhor que faça isso com o olhar de amor, não de obrigação, que me dê uma toca de banho cor de rosa e que coloque a mão quente em minha barriga quando estou com cólica.

Talvez falte em mim aquela dose necessária de romantismo, a tal da delicadeza feminina e algumas vezes ser mais meiga e menos "chata" e inquieta, peco também por dar risada quando deveria ficar séria e de falar coisas serias quando o indice de álcool no meu sangue já esta superior a 0,6g/l.

Mas estou aprendendo e tenho certeza que daqui a uns 80 anos eu serei uma pessoa melhor... rs vou deixar de comer batatinhas fritas e cutucar as pelinhas nos cantos dos dedos.

Por hoje eu fico aqui pensando porque raios nas farmácias os preservativos não são vendidos nas prateleiras com a indicação no alto em letra legivél descriminando o que é P M G ou GG.



Beijos

Rê Pinheiro


PS.: ESTOU MUITO FELIZ

terça-feira, 10 de agosto de 2010

O HOMEM DE VERDADE








O homem de verdade.

O homem de verdade, simplesmente encanta naturalmente, sem manipulações, ou mecânismos pré elaborados.
Seu olhar é uma mistura de mistérios, poesia, desejo e uma sabedoria emocional elegante e ousada.
Ele é aquele cara que sabe gritar se for preciso, mas sabe perfeitamente ouvir o seu silencio.
Sabe seduzir, conseguindo compreender e compreende que a sedução nada mais é que a observação dos detalhes muitas vezes ocultos aos olhos.
O homem de verdade, ama, adora venera com extravagância, sem muitos pesares, não se prende a freios. Ele não se detém pelo medo e sabe absorver toda a intensidade da vida.
O homem de verdade é verdade, não é meios termos, inconstâncias ou desalinhos.
É o dono de sua razão, mas se rende aos carinhos de uma mulher.
Sua ousadia e determinação não se resume a meros obstáculos, quando ele quer, ele quer... E quando quer consegue, para ele o não, é um talvez e o talvez apenas o alarde de um sim.
O homem de verdade é aquele que se permite sentir tudo. Mas que também sabe demonstrar estes sentimentos.
É aquele que não ter vergonha de ser menino, de brincar, de sorrir.
Que toma champagne e come batatinhas em baixo do chuveiro.
Ou que te dá um coelhinho de chocolate de presente. ( Coisa que eu particularmente detesto)
É aquele que consegue ver em ti muito mais qualidades e defeitos.
E que olha nos teus olhos quando você fala coisas que nem você entende.
O homem de verdade é um  louco que desperta admiração e fascinio a sua volta.
Ah! Perdoe-me os leigos no assunto, mas o homem de verdade sabe cozinhar...
E sabe também exatamente onde esta localizado o tal do ponto G, sem precisar da ajuda de um GPS.
Ele sabe cuidar, zelar e despertar em ti o seu melhor.
O homem de verdade te fará chorar de tanto rir.
E conhece verdadeiramente o significado da palavra surpreender.
O homem de verdade se apaixona.
Perde-se.
Ele pode não saber andar de Skate, tocar violão, ou pode nunca ter ido ao Golfo Pérsico, mas ele saberá te levar nas nuvens sem sair do chão.
O homem de verdade sente muita saudade e também sente muita fome.
Fome de comida.
Fome de viver.
Fome de você.
E sabe falar EU TE AMO, te amando mesmo.
Ele te fará criticas sem que você nem perceba, e te fará crescer.
Ele estará presente mesmo distante.
Terá uma mente brilhante, mas seu coração soara versos e "Cartas para a Julieta".
E sem receio de expectativas não teme em falar e planejar o futuro.
O homem de verdade sabe elogiar, pois ele realmente sabe o poder da admiração, não fala por falar, ele fala por sentir e enxergar.
O homem de verdade sente prazer no seu prazer.
Ele ama o som da sua voz e se arrepia com o seu perfume.
Então agora que já falei um pouco dos homens de verdade, aprenda a dizer não aos homens de mentira.

Beijos
Rê Pinheiro

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

ESTRANHA









Esta madrugada estava pensando, estar do lado nem sempre é estar presente, senti que minha mente estava num lugar onde meu corpo não a alcançava.

Muitos pensamentos...

Todos temos um dia em que nossa estrutura física parece não supotar tudo o que estamos passando, seria o silencio o melhor remédio ou o próprio veneno?

Nos calamos muitas vezes quando desejamos falar e falamos muitas vezes quando deveríamos nos calar.

Muitas vezes ouvimos a pergunta se estamos bem, e muita vezes automaticamente respondemos que estamos quando na verdade estamos péssimos.

Seria um ato tão desprezível assim, assumir nossa própria fraqueza?

Permitir se baixar a uma condição frágil pelo menos uma vez na vida?

Dói as vezes ser tão segura, porque no ínfimo alarde de uma insegurança súbita nos sentimos de louça e quebramos em mil pedaçinhos.

O que me alegra é saber que o passageiro, passa e que a verdadeira essência prevalece.

Tudo o que sei é que hoje me senti estranha.

Muito cinza e pouca luz.

E de repente a mente que grita.

É ruim muitas vezes ler o próximo capitulo, é ruim conhecer demais um texto, uma história...

Muitas pessoas começam pelo inicio, simples assim..

Tomei as redeas e fui além, começei pelo fim.

Claro que você não vai entender, seria como entrar numa imensa biblioteca e sem saber pegar o mesmo livro abrir na mesma página e começar do exato ponto onde eu começei.

Por hoje ficarei aqui amanhã volto a falar de amor.





Beijos

Rê Pinheiro

terça-feira, 3 de agosto de 2010

SAUDADE


Hoje eu senti saudades...
Senti saudades dos aromas dos tempos de infância e do abraço que um dia alguém me deu.
Saudades do gosto do café com leite que minha bisavó preparava, naquela mesma caneca de sempre.
Bateu-me a saudade de uma tarde no alto de uma serra, sem data, sem tempo e sem fim, apenas o vento que fazia a neblina dançar.
Saudades daquele amigo que me criticava e me fazia sofrer por pensar demais.
Certamente ele esta em algum canto, onde meus gritos não podem chegar.
Hoje eu também senti saudades da inocência que me foi arrancada e de brincar na lama sentada com meus irmãos.
Queria de volta o colo do meu vô Lazinho que como um passarinho partiu sem retornar, hoje ele esta contando suas histórias aos anjos e aqui deste lugar onde estou guardei o seu melhor.
Como é estranho sentir esta tal de saudade, parece às vezes um bichinho que corrói, outra hora lembra a fome.
Não é por menos que esta tal saudade é a sétima palavra mais difícil de traduzir no mundo, certamente porque ela envolve tudo, sentimentos, emoções, lembranças, um pouco do se foi e um pouco do que queremos, sim, pois existe a saudade daquilo que nem conhecemos a saudade de alguém que um dia irá surgir.
Enfim hoje acordei com saudades...

Beijos
Rê Pinheiro