sábado, 14 de janeiro de 2017

Filtro do amor








Quando você "conhece" os mais variados tipos de pessoas, e já se relacionou
com perfis diferentes do seu perfil, você cria um processo natural de filtrar o que realmente vale a pena aguentar de uma pessoa e o que não vale. Ficamos céticos, seletivos, e exigentes demais depois de tanto "sofrer" em relacionamentos, porem isso hoje eu enxergo como algo positivo e saudável.


Ter o discernimento e saber realmente definir o que quer e o que NÃO quer, é uma dádiva.


Hoje eu posso dizer que cada relacionamento que ja tivemos em nossa vida, serve como uma fonte de aprendizado para sermos aperfeiçoados para quem sabe, aquela "pessoa especial" EU DISSE: ( QUEM SABE )...


Certo é, que a paixão, atração, saudade, o amor, as cicatrizes, mágoas, a dor, saudades, desprezo, traição, felicidades, descaso, as lágrimas derramadas mesmo que escondido, a cumplicidade, reciprocidade, ou a ausência o ressentimento, não importa qual o teor, o sentido, não importa quem estava certo, ou não, qual foi a razão... mas cada momento vivido é uma lição para levarmos para o resto da vida.


E são justamente essas experiências que nos ensinam a " filtrar” quem queremos ter verdadeiramente do nosso lado, e que nos fazem diagnosticar através da sensibilidade e maturidade da Alma o que é uma paixão de um desejo, uma amizade de um bem querer, um tesao, do calafrio no estômago, um carinho sem precedentes do grande amor da sua vida!


A pessoa que eu seria hoje num relacionamento VERDADEIRO, certamente é muito melhor da pessoa que eu fui há anos atrás! Mas sem dúvida haverá muito a ser lapidado com o tempo.


Aprender a extrair o melhor de mim nas relações anteriores, enxergar as falhas, os defeitos que muitas vezes pensava não ter mas certamente eles existiram ou existem com certeza, me fez levar a evoluir e ter hoje a real certeza de que tipo de companheiro que gostaria de ter em minha vida! E da mulher que sou e poderei ser para ele, e somente para ele.


Não sou nada " tranquila" embora almeje a tranquilidade, possuo um lado de uma ansiedade brutal, não consigo desligar com facilidade, relaxar com naturalidade, e não sei dosar o altruísmo, querer ver bem a pessoa que amo, é uma necessidade, primordial e vital.


Porém há um lado que através de pancadas desenvolvi o de não saber pedir ajuda, ajudar e não ter um termômetro que indique o momento em que realmente preciso de alguém, isso justamente por nunca ter de que quem esperar, eu me tornei uma mulher que até pode atrair pela " beleza" mas causo repulsa por não saberem lidar com uma personalidade que foge à regra de ser cuidada. Porque eu simplesmente nunca me permiti, ou nunca tive ninguém que realmente teve a audácia de não se ater aos meus nãos, e de me cuidar como se cuida de quem ama.


Mas uma coisa é convicta hoje a reciprocidade pra mim é fundamental.


Não é o status que se molda o relacionamento, não é o fato de dar nome ao boi, mas de ter a certeza convicta de onde ele precisamente está e o que ele representa.


Dizer que tem uma namorada, uma noiva, tem um relacionamento sério, ou uma aliança, não é nada se não tiver a real convicção de sua importância, um contrato assinado em cartório não lhe dá nenhuma garantia de amor, o relacionamento verdadeiro nada mais é que um pacto de fidelidade, cumplicidade, lealdade, isso primeiramente deve estar em você, o pacto de que está sendo verdadeiro consigo mesmo é o início para seja verdadeiro e inteiro com o outro.


Entre experiências da vida tive um, relacionamento, onde era ele bipolar, agressivo, um psicopata beirando a insanidade, que talvez tenha tirado de mim parte de certas "esperanças"... Me fez enxergar que o nome dado ao " Boi" estava totalmente equivocado, primeiro porque na verdade ele era um Jumento, o que me tornou obviamente a Mula da estória.


Mas partir daquele momento, eu sabia que não ia suportar estar em um relacionamento baseado em agressividade e ignorância. Não sou a senhora paciência, tenho meus momentos de nervosismo, mas eu nunca gritei com ninguém, então, não vou aceito que façam diferente comigo. Isso é saber filtrar, isso também é saber definir o que realmente vale a pena.


Não acredito em mudança, mas acredito na melhoria e evolução.


E não vou melhorar porque o outro está pedindo, mas toda vez que reconhecer que algum comportamento me faz mal, e consequentemente, as pessoas ao meu redor, certamente a ele será a hora de refletir e dar importância ao que realmente importa.


Um simples questão de definir o que eu quero, e não aceitar menos do que eu puder oferecer. Relacionamento é uma via de mão dupla. Repleto de barreiras, curvas, obstáculos, trechos onde será necessário diminuir a velocidade quase chegando a parar e outros onde você terá que acelerar e ter cautela para não bater de frente.


Dou amor, carinho, atenção, zelo porque sou assim, e quero receber também. É assim que funciona.


Mas de tudo o mais importante é filtrar e querer quem ame meu jeito e não me julgue pelas escolhas ou pelo jeito de viver, sonhar ou amar, ou meu modo de ser ou de parecer "ser". Ame pelo que sou quando estou ao seu lado e tenha a certeza que será amado com a mesma intensidade que é amado estando distante.


Ame a simples vontade de me ver sorrir, e não me rotule por casca, porque se um dia eu disser olhando nos olhos que EU TE AMO, saberá pela cor deles que será semelhante à cor do Sol no amanhecer, e jamais duvide porque amar quando se é amado é sublime, mas quando este sentimento é visto como algo passageiro confuso e irrelevante causa uma dor descomunal.


Aí surge o filtro, a coragem de retroceder para tomar forças e prosseguir.


Não é conviver que te faz amar, porque para amar não requer conhecimento, esmiuçar os defeitos e qualidades do outro, você ama, simplesmente porque ama.


Por isso, enquanto para alguns o amor é algo que surge apenas com o tempo, talvez pela arte da conquista, demonstrações, pelos detalhes observados, assim estabelecendo o que seria um filtro do amor.


Para outros o amor é amor, sem mérito, explicação, lógica, razão...é claro que você enxerga os defeitos senão isso seria uma paixão, mas a quantidade de defeitos não torna ínfimo a intensidade do amor. Pela simples questão de que não escolhemos quem queremos amar, porque o amor não se faz na aparência, o amor está no inexplicável, e na certeza que mesmo filtrando tudo jamais deixará de ser amor.




Rê Pinheiro












sábado, 5 de novembro de 2016

Mulher






O que seria o modelo de uma mulher de verdade? Aquela que faria certamente lhe causar não o desejo, mas a certeza que ela é o que você realmente vislumbra a teu lado até o findar de uma vida?
Eu acredito que a mulher de verdade, já teria como natureza ser verdadeira em sua plenitude, sem máscaras, rótulos, não usar do poder da sedução para seduzir, pois o que realmente seduz não estará estampado, e jamais será visto pelos olhos.
A mulher de verdade, é vista por muitos, despertará a curiosidade, causará algo que intriga, instiga, de fato muitos a observarão, raros a compreenderão, porque o que há de mais belo é justamente a complexidade de sua essência, e por ser assim, ela descobrirá através da dor o amor.
Isso porque ela não se contenta com morno, com a mesmice de afetos recolhidos, ela não aceita o romance morno, ligeiro, inerte, superficial, o supérfluo, sem graça, com lágrimas sem o sabor carregado do Sal de uma saudade, para ela não há nada pela metade e apagado.
Pois o amor que ela ama, é o amor quente, aquele que pulsa e vibra no simples olhar ... tocar, é o amor do apaixonado, da paixão e dedicação diária para que seja duradouro, em movimento constante, intenso, cheio de atitudes, com sorrisos, inteiro e com luz própria.
Ela pode se enganar, quebrar a cara, mas quando cai em si se aquilo não a satisfaz plenamente e se não quer valer a pena.
(O desapego é coisa certa)
Esta muito distante de se conter com ínfimos suspiros e sussurros, quer sentir no abraço a real intensidade do sentimento, terá que ir muito alem da pele, e não será a química, mas a alquimia dos poros, o conhecimento exato da geografia do corpo daquele que ela ama.
O que lhe faz feliz?
A espontaneidade dos sentimentos, a clareza dos afetos, e a lucidez das críticas.
Sem dúvida que uma mulher de verdade sempre irá precisar de colo, talvez ela jamais peça, mas quando pedir será para aquele que ela realmente confia seu amor, assim será com a necessidade de carinho e atenção.
Mas acima de tudo o que prende não são as amarras do ciúmes, porque a mulher de verdade será tua, se sentirá tua, não haverá outro sentido ou outro caminho que não a leve até você.
Prioridades ela exige sim, primeiramente que a respeite, a admire mas que também lápide suas imperfeições.
Será muito bem vindo a audácia de surpreendê-la, com simples presentinhos, bilhetes verdadeiros, expressões de a faça sentir que seu amor não é unilateral, meras lembranças carregadas de com a autenticidade das emoções... loucuras de amor até pode ter mas ela trocara tudo apenas pelo apreço, a ternura a lealdade, dedicação, e cumplicidade.
O valor para ela está no companheirismo, no cuidado e zelo que ela espera para o seu mundo.
O que conquista não é o elogio e o jantar do primeiro encontro, são os diálogos, ou o silêncio que se faz ouvir no olhar, gestos  diários que a fazem se sentir desejada, valorizada e amada.
Sim se realmente desejar uma mulher de verdade, permita na sutileza a coroa que o seu amado súdito põe todos os dias em sua cabeça que a faz se sentir a rainha que toda mulher deseja, porque só assim ela ganhara forças para também aceitar a condição de plebeia e enxergar e tratar o seu amado diariamente como o seu único dono é eterno Rei.
Mas a grande maioria se quer sabe distinguir uma mulher entre " A Mulher de Verdade" talvez pela incapacidade de observar, a desculpa vil da covardia, ou simplesmente pela ignorância, poderia ousar em dizer que aquele que não se vê como Rei, será visto sempre como bobo da corte.

Rê Pinheiro



quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Causa e efeito









Mas me diga? É o medo, o efeito é a causa de tudo, o vil orgulho de se julgar superior segundo seus valores? Porque mesmo que o razão impere, e seja Orgulho, é o medo que o limita!
Mas te limita a que?
Medo de quê? De ser feliz? De não ser feliz?
O medo impede, bloqueia, ilude…
Te coloca numa zona de conforto onde o amor é o que menos importa.
Se julgar dono da razão e perdê-la, se considerar que você dará as regras para a vida ela te dará o que no final?
Um grande prêmio, um troféu por ter ganho o jogo do desapego, né? Está satisfeito? Pode viver assim?

Beijos
Re Pinheiro

quarta-feira, 1 de junho de 2016

A santa canalhice









Explicação para a santidade?
Não há uma viva alma nesta terra digna de ser chamada de santo.
Somos em nossa ignorância de querer ser gente, pobres repletos de uma vasta sensação de bondade.
E que bondade seria esta?
Ser bondoso com anseio de ter algo em troca não é bondade é barganha.
Se fizer algo de bom esqueça, e se caso seu lado pior transparecer tente ao menos ser inteligente e não deixar os rastros.
O mais forte, não é aquele que tem mais "poder" mas aquele que através da sensibilidade do autoconhecimento, consegue discernir entre a arte de "dominar" e ser "dominado".


Beijos
Re Pinheiro

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Baile de Máscaras








E no caos diário, no Baile de Máscaras e disfarces mesmo o mais puro torna-se deturpado, e fica a mercê de meros elementos o discernimento, a distinção do real do trivial, o humano do animal, o banal do essencial. 


E as vezes a rispidez de um grito, a deselegância e a fúria é mais honesta que um sorriso difarçado de mentira, uma palavra em tom ríspido é mais sincero que um carinho fictício que se dissolve na rotina da vida. 

Somos medíocres e desacreditamos da honestidade de pessoas que ainda persistem com o vínculo inabalável com o bom senso e mantêm a verdade, como uma simples conduta de caráter.

Acreditamos no que desejamos acreditar, nos deixamos levar por outras bocas, em outros pensamentos, em expressões ao invés de impressões, fica mais fácil de acreditar nas pessoas com disfarces. 

Mas é aí? E lá no fim de tudo, quando já ninguém tiver um disfarce, quando apenas permanecer, sobreviver, sua vontade de amar, talvez você se veja sozinho, repousando os dias de sua vida, afogado em recordações de quando realmente encontrou o amor e pela ignorância do "eu" você, o deixou passar... foi quando encontrou a lealdade e não soube valorizar, porque era mas simples flutuar que arriscar de verdade, que se entregar até o final. 

Fim de baile, todas as mascaras caíram e você, sentado com sua inquietude, os anos bateram na porta e a abóbora se definhou.

Ah! Quem dera se  a curiosidade,  teimosia e o discernimento nos permitisse o desvendar dos disfarces, haveriam mascarados de tez trasnlúcida, almas cristalinas, que deixamos de enxergar, por olhar o reflexo de uma mascara que nunca existiu.



Beijos


Re Pinheiro

terça-feira, 22 de março de 2016

Entre as Cagadas o Amor





Tudo é uma bagunça tão grande.


Buscamos sentidos, explicações, definições, e no fim nada se explica, se define ou faz sentido.


O único sentido é aquele de quem sente, sonha e vive, mesmo que a espera do sonho.


O que faz uma abelha feliz? Fazer definitivamente o mel? Ou sair em seu voo em busca do néctar das flores...


O que vale mais? A veracidade das palavras que surgem quando se defeca, ou a verborragia do palestrante ante a uma plateia gigante?


Prefiro o nu, cru, seco, a cagada sem fingimentos, a alegria de desperta a multidões.


Hoje acordei querendo dormir, sumir, subir...


E no absurdo da distância, entre o voo a abelha ao vaso sanitário a imagem fez meu dia mais feliz.


Não é a troca de alianças que torna uma união eterna, mas a capacidade de manter um sentimento mesmo diante de tantas cagadas.



Rê Pinheiro

sexta-feira, 4 de março de 2016

O frio da alma









Dias tristes

Coração apertado ando meio de saco cheio do mundo, das pessoas, dos sorrisos plastificados

Nem a vontade de falar com amigos me surge em mente

Fiz da solidão nestes últimos dias, minha melhor companhia

Conversei com minhas insanidades, fiz um resumo das vitórias e derrotas e reconheço quantas falhas cometi.

Hoje duvido até da existência do amor.

Consigo compartilhar um link, uma mensagem mas não sei mais como e que é compartilhar de verdade os sentimentos, os afetos.

Gosto de pessoas que estão distantes e quero distância de muitas pessoas que estão perto.

Re Pinheiro

sexta-feira, 13 de março de 2015

Metade da Laranja





"Estava certa que ele seria minha metade da laranja, mas o problema é que a minha metade estava azeda e acabou azedando tudo".

Rê Pinheiro

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Uma MULHER!


  Flor Kadupul


Para quem deseja uma mulher convencional, definitivamente não farei seu tipo.
Portanto nem perca seu tempo lendo meu Blog.
Não sou o tipo que nenhum tipo normal amaria, portanto para me amar tem que um bocado de pinos a menos.
Sou tosca, um estilo meio cavernosa que não suporta quando sou cortada quando estou entre os delirios de meus pensamentos.
Gosto de liberdade e da sensação de não fazer parte de nada, sabendo que pertenço a seu todo.
Preciso do meu tempo, do meu mundinho estranho para ser feliz, e minha felicidade não esta condicionada a nenhum bourbon ou uma cueca caida na beira da cama.
Se aprecio atenção?
Isso é elementar, sou humano, somos dependentes cativos da tal Atenção Global, queremos ser notados, observados, admirados, queremos que por um momento o mundo paralise e preste atenção no que somos.
Tudo que sei é que é complexo ser singular num mundo plural.
O que temos hoje?
Um mundo cheio de amor para dar, mas completamente ignorante no quesito se doar, e ainda sim, teima em dizer que ama.
Falar que ama é fácil, escrever que ama é mais fácil ainda, mas aprender a discernir e então PROVAR que verdadeiramente ama, ah! Meus caros isso é raro.
Se não for para se jogar de cabeça e mergulhar  a vida não terá graça alguma.



Beijos
Rê Pinheiro




NÃO HÁ TRADUÇÃO PARA AFETOS





De tudo quanto habita em mim apenas saudade.
Cobre meus pensamentos seu efeito sobre minha pele, e a imagem de tua gélida face diante do confronto e a eminência de teus sentimentos submersos.
Porque há distancia, se ainda te quero?
Porque quero? Como eu te quero?
A resposta é: “Não há tradução para os afetos”.
Eles não se explicam, eles aos poucos se revelam...
Tua ausência não serve senão como um grande fertilizante para pensamentos absurdos.
Por isso não te peço escolhas, aceito o tão somente pouco de sua presênça reativa e remota.

Por isso não observo a congruência quando me pedes para me lembre de você durante o dia, pois quando temos que nos lembrar é porque em algum momento já temos esquecido, e as pessoas especiais nós não esquecemos, elas permanecem sempre ativas perambulando em nossa mente. 

Ps.
Escrever é uma paixão, portanto não tente me encontrar em linhas, frases compostas, e pensamentos estraviados,  escrevo porque amo, porque sinto necessidade de expressar sentimentos, sentimentos estes que por vezes serão meus ou Não. 

Beijos
Rê Pinheiro

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Dil Má a Pior









Ano esquisitinho este tal de 2014.
Tudo se mostra no formato de que vai acontecer, mas nada definitivamente acontece.
O Facebook compra o Whatsapp, e um avião daMalaysia Airlines simplesmente desaparece.
A Nasa como num passe de mágica diz encontrar um planeta habitável, e nós habitantes do planeta azul, não enxergamos nos mesmos
Eis que surge o peito estufado, e os gritos “Somos brasileiros”  eba a COPA chegou, somos os anfitroes, seremos campeoes. Assistimos a jogos, lutamos contra o racismo e por fim acabamos nos estadios comendo banana. A alegria passa, a derrota surge e cai nossa ficha,  fomos idiotas e somos decepcoes. 7 a 1 Gol. Eba ( Agora este pais acorda)
A Copa termina, a Alemanha vence e mais um aviao da Malaysia Airlines, vai para os ares num voo sem volta. Tempo de desgraca no ar.
A OMS declara virus de Ebola piora.
E nem  Robin William suporta este mundinho, e num monologo suicida sai de cena. Deixando a Vida.
O que fazer para dispetar para ELA?  Ademiros a baldes de gelo, gelamos nosso corpo na tentativa de aquecer os corações.
Mas há corações gélidos demais, terroristas islâmicos  degolam, em nome de uma justiça que jamais puderam compreender.
E no meio da baderna até o Orkut corre.
Mas calma ainda não acabou, caraca gente a Dilma ganhou?
O Brasil não acordou!!!
O Gigante tropeçou despencou de seu  grande pé de feijão, não há João para Salvar, e o tal do Aécio que eu tinha certeza que ia ganhar?
Pois é compraram nossos votos, falsificaram nossas urnas e a eleição que seria nossa salvação se tornou uma grande decepção.

Entraram em nosso lar roubaram nossa dignidade,  aTV já não mostra, ela omite, reinventa, cria , recria,  e os programas estão programados para programar nosso cerebro a pensar menos, decidir menos, e consumir mais, nos tornamos reféns da ignorância de uma massa, não somos mais humanos, somos códigos de barras.
E quando começa o fim, eis que surge 2015.
Ano novo, esperança nova e as cagadas velhas.
Somos um povo repletos de planos, projetos e sonhos, mas nos deparamos que ainda não acordamos do pesadelo.
Aqui na Terra do Faz de conta, a corrupção tem mil anos de perdão, o que resta é sentar e assistir Império e BBB já que estamos programados geneticamente para não pensar.
Passamos a ser uma pequena massa de “Revoltados On Line”, que  luta,  não para derrubar um Gigante, mas para fazê-lo simplesmente se soltar das amarras e se erguer, para derrubar os pequenos anões.

Pois é nossa História esta virando HQ, nosso legado se lembrará de que?


Beijos

Rê Pinheiro

domingo, 23 de fevereiro de 2014

SMART TV












Resolvi dedicar um tempo e escrever sobre algo que até então não havia escrito.


TVs, pois é! A Dona Rê Pinheiro aqui resolveu sair do pessoal e partir para o primordial, ou seja um alerta.


Hoje a grande maioria possui suas TVs em casa, seus tamanhos formatos e finalidades variam de acordo, com o gosto e o bolso do freguês.


Me lembro ainda dos tempos de infância da pequena TV cujo seu local na estante da sala, se revelava praticamente como um altar a única e bem aventurada existente em nossa casa, suas 20 polegadas de completa satisfação, que por várias vezes sofria de carência e necessitava do auxilio de um pedaço de Palha de Aço, já que falar o nome da marca eu estaria fazendo nada mais que uma propaganda filântropica... enfim precisava do bendito treco para colocar na antena, sem contar nas inumeras subidas de meu pai ao telhado de casa, para ficar virando a dita cuja para os lados e nós lá da sala aos berros dizendo: "Tá melhor, piorou, piorou mais ainda... ai ai ai para"


O coitado descia olhava a imagem e com um sonoro palavrão dizia: "PQP Vocês mandaram parar"


Pai, era para parar aquela hora, mas o sr. mecheu dinovo.


Bons tempos aqueles...


Tempos onde haviam jantares em família, e o Cala a boca que o Jornal Nacional vai começar.


Tempos em que a Segunda Feira, era marcada por aquela músiquinha maldita do término do Fantástico, e bastava ela tocar para se lembrar que tinha escola, e o dever de acordar ás 6:30 da manhã.


Tempos onde todos se reuniam na sala para assistir uma única TV, e não como hoje, onde cada um fica em um cômodo da casa perdido, assistindo seu canal favorito, jogando seu jogo mais divertido, ou tentando se conectar por uma porcaria de um SMART TV que não tem conector.


Pronto cheguei onde eu queria SMART TV.


Me digam para que fins você compra um Smart TV?


Segundo o Wikipédia, Para quem não sabe o que é, Smart TV compreende um grupo de televisões que tem integrado acesso a internet, conteúdo pessoal, instalação de aplicativos e vários outros recursos que melhoram a experiência de uso.Pois é acesso integrado a internet.


Se o acesso esta integrado, isso quer dizer que você não precisa comprar um "acessório" para se conectar, certo?


ERRADO!


Você compra a SMART TV e depois ficará sabendo que precisa comprar o dito cujo do treco para conseguir de fato ter acesso a rede via Wireless, ou usar o método de puxar fios, ou seja vários cabos espalhados ou camuflados pela casa.


Você enfim consegue explicar seu problema ao fabricante, problema este que poderia ter sido completamente evitado se a venda fosse devidamente feita, se o produto viesse com os devidos esclarecimentos obrigatórios ao consumidor. Mas o próprio fabricante, o maledeto que coloca o tal produto á venda lhe diz que o raio do bagulho não esta disponível, pois a uma grande demanda, então nos orienta a procurar por sites.


Pois é, ele nos dá uma lista de sites para você procurar onde você, ( O TROUXA QUE COMPROU) poderá, eu disse poderá encontrar o dito cujo do conector à internet.


Mais uma mentira, pois você procura procura e procura e tudo que acha é um sonoro “Não esta disponível em nossos estoques”


Tudo que você poderá encontrar é apenas o valor, o que neste caso gira em torno de quase 10% do valor da SMART TV!


Pois é, aqui fica minha indignação ao atendimento e o devido respeito ao Consumidor do Fabricante LG.


Hoje deveriámos ser verdadeiramente considerados Consumidores, ou seja, aqueles que se consomem em dores de arrependimento.










Segue a copia da resposta dada ao e-mail enviado:







































Olá, Regiane

Agradecemos que tenha acessado nosso site.

Em atenção ao seu e-mail, compreendemos seu relato, entretanto informamos que este modelo de televisor oferece acesso a internet através da conexão com cabo Lan, proporcionando assim seu pleno funcionamento Smart.
O adaptador Wi-Fi poderá ser adquirido separadamente caso desejar. Poderá encontrá-lo em grandes revendas online e físicas, tais como: Colombo, Americanas, Carrefour, Ponto Frio, Casas Bahia, Fnac, Fast Shop, Walmart, e também Assistências técnicas Autorizadas.
As autorizadas podem ser localizadas no link .

Peço à gentileza que participe da pesquisa de satisfação e avalie meu atendimento.
Caso tenha alguma outra dúvida nos contate. Será um prazer atendê-la novamente.

Atenciosamente,
Mikaelle
Central de Atendimento LG











-

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

DO EGRÉGIO DE KANT AO INFERNO DE DANTE





Mandar a merda ou para o inferno?

Após refletir, acredito que não seria o mais propício, posto que para "algumas" espécies de "homens" digo dos efémeros bipedes barbados, os desejosos que se resumem apenas a vil contempladores compulsivos de Glúteos fartos e altivas mamas sobressalentes, ogros cavernosos que se munem da palavra coragem, mas diante de infímas decisões, se acovardam, se curvam seguindo a diretriz de seus colhões obstringidos.
Assim sendo, não haveria eficácia em tal desígnio, serviria não mais que, para o acúmulo das perturbações do linear, acanhado e delimitado invólucro craniano, tendo como consequência única, a estagnação. Ficariam plantados no meio do caminho sem saber exatamente qual rumo seguir.
Observe que não há maldade intrínseca na ácida objetividade desta afirmação, apenas o despeito lúcido, composto de uma certeza dolorosamente presenciada, unânime coerência de um magistral descaso, proveniente de um infortunio efeito do desafeto que me atrevo a enquadrar como um ato doloso, o réu, não menos que uma inigualável dose unica de um raro Bourbon deliciosamente saboreado às margens de um exuberante piscina, mas que jamais deveria ter sido apreciado pelo paladar.
A reação não poderia ser pior, a ressaca do Sol seguinte, veio carregado de um peso cujo, os anos já haviam libertado, um amargo semelhante ao fél é o que permanece, deverás seria oportuno estar chateada com meu próprio eu, por ser cumplice, convém salientar que " NON DUCOR DUCO ", sendo portanto o valor do bem quisto, e muito bem pago privilégio do amor.
E por ser amor, em sua credulidade se faz simplesmente amor.
Neste instante o recordar... e por volta de meus 10 anos de idade, me apaixonei por Roterdã, pelo "O Elogio da Loucura" depois tornei-me admiradora de Socrates, Platão, Aristóteles, Nietzsche, e até do velho mau humor do Rabugento Schopenhauer, cada qual com suas percepções, linhas de pensamentos distintas, mas entre eles sempre o tema AMOR.

Eis que no alvoroço da inquietude dos pensamentos, surge um "C" na história do amor, um amor como nenhum outro, o amor soberano, o amor daquele que simplesmente ama, e a verdadeira concepção do Verbo Amar. podemos definir o amor em aC/dC. "quem tem olhos que ouça" se me fiz compreender (...)

Agora recentemente depois de ser apresentada a Kant começei a perceber o que de fato queria dizer quando escreveu que: "O amor, enquanto afeição humana, é o amor que deseja o bem, possui uma disposição amigável, promove a felicidade dos demais e alegra-se com ela. Mas é patente que aqueles que possuem uma inclinação meramente sexual não amam a pessoa por nenhum dos motivos ligados à verdadeira afeição e não se preocupam com a sua felicidade, mas podem até mesmo levá-la à maior infelicidade simplesmente visando satisfazer a sua própria inclinação e apetite. O amor sexual faz da pessoa amada um objecto do apetite; tão logo foi possuída e o apetite saciado, ela é descartada tal como um limão" ...

Quantos limões sugamos? E quantas vezes fomos os limões sugados?

Cabe a nós o discernir... mas que seja bem vinda sempre, a bela afeição de uma sincera amizade.


Beijos


Rê Pinheiro                                                                                                      (CBF) 

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

A semelhança entre o Mar e as Lágrimas.





Se podemos escrever sem estar apaixonados, sem amar ?
Claro que sim! Podemos escrever sobre a paixão, sobre o amor, assim como tantos outros sentimentos e emoções...
Podemos falar da razão, objetiva ou subjetiva, sonhos, ilusões, desejos, vontades, fantasias, no mundo das palavras descrevemos o imaginário, elevamos, inventamos, criamos... assim como podemos revelar nossos segredos, assumir nossos fracassos,  fraquezas, compartilhar conhecimentos, pensamentos, verdades ocultas ... cabe tudo nas frases, letras, pensamentos, textos e até nas entrelinhas. E deixamos a mercê daquele que lê os caminhos do pensar...ponderar...aprender...ou simplesmente sonhar...
Muita coisa do que já escrevi sem duvida foi fruto de uma imaginação fértil, assim como há textos que traduzem com lucidez os fragmentos de lembranças remotas, textos onde escancarei verdades e abusei do privilégio, refúgio e desabafo de escrever.
Durante 14 anos guardei sentimentos, reprimi emoções e ações, e por tanto represar, o transbordar foi inevitável.
O acúmulo foi o cúmulo, e neste 14 de Novembro começei a compreender porque o sabor da água do Mar e das lágrimas são tão semelhantes...

No Mar está a Profundidade, os abismos e toda a extensão e vastidão das Águas, nas lágrimas, encontramos toda a profundidade, os abismos, a vastidão e a extensão dos sentimentos.
No Mar, a grandeza e a beleza da vida, nas lágrimas, a grandeza e a beleza das emoções.
No Mar a fúria, revolta, a devastação dos Tsunamis podem ser calculadas de acordo com a intensidade e a magnitude de abalos sísmicos, nas lágrimas a devastação causada e calculada com a intensidade e a magnitude da dor. 

Mas entre eles há algo de uma predominância unânime, o Sal, um elemento cuja a composição empírica é determinada pelo número de íons, e suas cargas positivas e negativas.
Talvez este seja o grande mistério pois conseguimos chorar tanto de alegria quanto de tristeza.



Rê Pinheiro

sábado, 2 de novembro de 2013

"Aos Canalhas "

"






Porventura não há naquele homem fascínio maior que a coragem de ser um canalha?

Maldito seja este poder da sincronicidade, quem dera houvesse força maior capaz de tirá-lo neste momento de minhas entranhas, de forma magistral impregna todos os cantos de minha mente, o divino banquete ao delírio.

Envolve pela inteligência, aproxima pelo humor, cativa pela sensibilidade, seduz pelo verbo, encanta pela poesia, prende e entorpece por uma composição singular.

Seu timbre é semelhante aos acordes do Vento,ora brisa suave penetra, dança e desliza lentamente sobre a pele arrepiando e provocando a sublime sensação de sentir o que não se permite o toque, resta apenas fechar os olhos e se perder por caminhos e momentos imaginários... ao mesmo tempo que revolta e com a fúria de um grande furacão, simplesmente avassala, agride a sanidade fere a alma, eleva, enerva, atiça e derruba ao chão.

E no encontro o reencontro, lembranças confusas de um distante tempo ausente, memórias do passado oscilam na visão presente, raiva por reconhecê-lo, e desejá-lo instantaneamente.

Desejaria não te amar por toda minha vida, mas o desejo em todas as minhas vidas pois o amo sempre e ainda mais a cada nova vida... sempre te espero, te busco e te perco, mas ainda sim te amando por esta e por todas as minhas vidas....


Beijos
Rê Pinheiro